Acorda
Brilhe de forma consciente! Entenda o mal que os glitters sintéticos causam no meio ambiente e conheça alternativas sustentáveis

Postado por auablog em 20/02/2019

Estamos em plena folia e nada como os famosos brilhinhos coloridos para iluminar e complementar a nossa maquiagem e adereços no carnaval.  Hoje vamos bater um papo sobre como os glitters sintéticos afetam negativamente o meio ambiente.

 

Glitters x Meio Ambiente: O que mais nos preocupa nessa relação?

Os glitters são pequenos pedaços compostos por plástico (copolímero) e diferentes metais, portanto, não são biodegradáveis. O que é preocupante na relação glitters e meio ambiente está ligado diretamente ao seu descarte, já que um dos seus principais usos são em maquiagens e assim costuma-se eliminá-los no banho ou na lavagem do rosto, sendo os glitters descartados diretamente para o esgoto. Desta forma, os glitters chegam ao mar e por serem microplásticos absorvem toxinas e metais pesados, os pequenos animais marinhos e até plânctons ingerem o material, assim como outros animais maiores que consomem estes menores são intoxicados, os seres humanos também serão ao consumi-los, causando um grande impacto ambiental. Os microplásticos já foram encontrados inclusive no sal marinho, podendo desta forma chegar a nossa mesa.

 

Qual a diferença dos glitters sintéticos para os sustentáveis?

É possível optar por glitters sustentáveis e evitar todo esse impacto ambiental. Os glitters sustentáveis são formados por minerais totalmente naturais, por algas marinhas ou até mesmo celulose biodegradável que possuem brilho e não impactam de forma alguma ao meio ambiente.

Os glitters sintéticos são formados por cortes finos de lâminas de plásticos (copolímero), cobertos com finas lâminas de alumínio, ou outros materiais, como óxidos metálicos (como o titânio).

 

Os sustentáveis tem a mesma fixação que os sintéticos? Quais são os  seus benefícios?

Sim, os glitters sustentáveis são formados por produtos naturais e possuem aderência semelhante aos glitters sintéticos. Por serem de origem natural, além de biodegradáveis são produtos atóxicos e que não levam a possíveis reações alérgicas na pele.

 

Como brilhar de forma consciente sem agredir o meio ambiente?

Em substituição aos glitters sintéticos já existem glitters biodegradáveis feitos a partir de celulose que em contato com o meio ambiente não o agridem. Como outras opções tem-se a mica que é um mineral natural e que possui um brilho característico e aderente também e os glitters originados de algas marinhas que apresentam brilho e ótima aderência, assim como os sintéticos.

 

Nesse carnaval não esqueça de se divertir de forma consciente, opte por glitters sustentáveis e assim você estará protegendo o nosso meio ambiente. Vamos juntos causar um bom impacto no mundo?

 

Feliz carnaval!

 

Referências:

 

GUARDIAN, The. Losing its sparkle: the dark side of glitter. Disponível em: <https://www.theguardian.com/fashion/2018/jan/21/losing-its-sparkle-the-dark-side-of-glitter>. Acesso em: 14 fev. 2019.

YANG, Dongqi et al. Microplastic Pollution in Table Salts from China. Environmental Science & Technology, [s.l.], v. 49, n. 22, p.13622-13627, 2 nov. 2015. American Chemical Society (ACS). http://dx.doi.org/10.1021/acs.est.5b03163.

 

LABORATORY, Plymouth Marine. New Plastics Economy. Disponível em: <https://www.pml.ac.uk/Research/Projects/New_Plastics_Economy>. Acesso em: 14 fev. 2019.

Compartilhe essa ideia: